quarta-feira, 30 de março de 2011

O rinoceronte na loja de cristais e a topeira...



A melhor sensação é ter o mundo dizendo amém ao que julgamos correto não é mesmo ? Um mundo que não nos enfrenta.Um mundo que não nos machuca.Ficamos ali dentro daquela conchinha,quentinhos,fazendo as coisas da maneira que fomos ensinados.Em segurança.Piloto automático.Olhar para os lados não é nunca uma possibilidade.A estrada que estamos seguindo não é tão bela.Mas ela é segura.E realmente julgamos que estamos fazendo as coisas da melhor maneira.Aposto que todo mundo se vê uma vez na vida nessa condição.Então vem uma pessoa,ou uma situação que nos sacode por inteiro.Nossa primeira reação natural é de defesa.Depois vem a raiva.E finalmente quando a sensatez nos invade,vem a vergonha.Vergonha de não ter pensado além.Vergonha de ter tido medo de olhar para os lados.Não é fácil escolher uma estrada com espinhos.É que espinhos doem.Mas a chance de encontrar flores lindas é um fato.
Ando passando por situações que estão exigindo que eu pense fora da caixa.Que estão exigindo criatividade extra,paciência extra,ouvido extra e principalmente controle extra sobre esse ser que sou e que muitas vezes transborda.Tenho aprendido que transbordar as vezes não é interpretado como esforço em demasia.Ao contrário,transbordar mostra imaturidade em demasia.E isso traz a perda de coisas preciosas.
Controlar o que a gente é ,requer muito esforço.Esse é meu desafio diário.As véspera de meus 36,percebo que não quero mesmo um mundo dizendo amém aos meus desejos.Quero um mundo que me desafie.Que me deixe louca de raiva por me mostrar que eu poderia fazer diferente.Quero que o sentimento de vergonha por não ter ido além,faça com que minha mente trabalhe mais e mais.Quero cada vez mais situações que me contrariem.Pessoas que me impulsionem.Tem gente que tem esse efeito sobre a gente.Essa pessoa nos mata de raiva,faz a gente se sentir uma topeira,por que faz a gente sair da nossa zona de conforto.Sabe,temos esse direito,de gritar,espernear,chorar,dizer que a pessoa esta louca e achar que correto é o que somos.Mas,isso precisa durar apenas 24h...Mais do que isso,é perda de tempo.Mais do que isso,só vai fazer a gente enxergar os espinhos do caminho.Nunca as flores belas da estrada...

terça-feira, 1 de março de 2011

Amanhã eu comemoro...


Nunca tive medo de mudar.Sempre fui destemida,corajosa e até meio abusada.Levo como lema que a única coisa certa na vida é a mudança.Até que me vi numa situação de escolha.De verdade,a primeira em muito tempo que me fez perder o sono.E esse medo não foi do desconhecido.O desconhecido não me amedronta.Sei que tiro qualquer situação de letra.O que me amedrontou foi perder coisas grandes que conquistei.Pessoas que fazem tanta diferença em meu dia a dia,pois minhas relações de trabalho nunca foram comuns.Nunca consegui não me apegar as pessoas.Nunca consegui manter distância.Nunca consegui agir apenas com a razão.Algumas pessoas acham isso equivocado.Eu posso dizer que é exatamente isso que fez diferença no meu sucesso profissional.Nunca consegui chegar ao trabalho e guardar a roupa da Adriana "pessoa" no armário e vestir a roupa da Adriana "profissional",assim como se troca a roupa de um personagem.Eu não consigo me separar de mim mesma.E quem esta ao meu lado sabe disso.Por isso esta sendo muito difícil essa decisão.
Hoje deixei para trás uma situação de extremo conforto,onde eu já conhecia cada detalhe, cada olhar, cada suspiro.Deixei pessoas que cresceram comigo e que principalmente me fizeram crescer.Pessoas que acreditam em mim.Sabe aquelas relações em que tudo acontece apenas com um olhar?Deixei pra trás a segurança.A parceria.A admiração.E não quero pensar ainda no monte de coisas que irei ganhar.Eu no fundo sei que não perdi.São coisas que conquistei e que ninguém irá tirar de mim.Mas hoje,quero me permitir ficar triste.Quero ficar de luto.Pois essas pessoas merecem o meu luto...Meu time.Só meu.E não de quem quiser...rs
Precisei ir,precisei trocar o lote da Provence do Rio Sul para o lote da Provence do Leblon.E dá um friozinho na barriga.Dá uma dor no peito.Dá uma sensação de abandono. E a única coisa que conforta é que sei que fez diferença minha passagem na vida de cada pessoa que esteve comigo nesses 4 anos.E eu serei eternamente grata.Hoje não é um dia feliz.Mesmo que o caminho que irei trilhar amanhã seja de grande felicidade.